Quando o Pac-Man surgiu no início dos anos 80, nada mais parecia com o jogo. Enquanto a maioria dos jogos de arcade da época envolvia atirar em alienígenas, Pac-Man parecia um desenho interativo em miniatura: um cabo-de-guerra cômico entre um personagem redondo e amarelo com um vício de mastigar minúsculos pontos brancos e um quarteto de fantasmas vagueando com olhos grandes e ansiosos.

Como sabemos agora, o Pac-Man foi um enorme sucesso, e seu controle sobre a cultura pop ainda é forte hoje. Mas o sucesso do Pac-Man estava longe de ser certo; seu designer inicialmente não tinha interesse em jogos, e a reação do público a ele foi inicialmente mista. Aqui está uma breve olhada em alguns dos fatos fascinantes por trás da criação do Pac-Man, seu impacto e seu legado.

O criador de Pac Man, o jogo, não tinha experiência com jogos

Quando então Toru Iwatani, de 22 anos, começou a trabalhar na Namco em 1977, ele não tinha nenhum interesse particular em projetar videogames. Na verdade, Iwatani inicialmente esperava que ele trabalhasse em máquinas de pinball, mas acabou criando os jogos de pás inspirados em Breakout Gee Bee (1978), Bomb Bee e Cutie Q (1979). Dois anos após o lançamento do Pac-Man em 1980, ele projetou também o jogo Pole Position.

Pac Man foi feito para concorrer com Space Invaders, o jogo

Os fliperamas japoneses do final dos anos 1970 e início dos anos 80 eram lugares escuros e masculinos cheios de jogos de tiro espacial inspirados pelo sucesso dos Space Invaders – incluindo o extremamente bem-sucedido Galaxian da Namco. Em resposta, Iwatani começou a pensar em um conceito que ia contra esses jogos. Todos os jogos de computador disponíveis na época eram do tipo violento – jogos de guerra e tipos Space Invader. Não havia jogos que todos pudessem desfrutar, e especialmente nenhum para as mulheres. A ideia era propor um jogo ‘cômico’ que as mulheres pudessem desfrutar. Iwatani começou a pensar em ideias baseadas na palavra taberu, que significa “comer”. E gradualmente, o conceito de um jogo chamado Pakku-Man (derivado de paku paku, uma gíria japonesa semelhante a onomatopeia nhac-nhac) começou a se formar.

Pac Man foi inspirado em uma pizza?

Uma das grandes lendas da criação do design de jogos é que Iwatani, ao comer uma pizza, olhou para a torta com uma fatia faltante e usou o contorno como inspiração para a forma distinta do Pac-Man. A história foi promovida pelo próprio Iwatani; Quando a febre do Pac-Man estava no auge, ele até posou com uma pizza meio comida para uma foto publicitária. Mas em uma entrevista de 1986, Iwatani admitiu que a lenda era apenas “meio verdadeira”. Em japonês, o símbolo para boca (kuchi) é uma forma quadrada. Não é circular como a pizza, mas Iwatani decidiu completá-la. E assim, o Pac-Man nasceu.

Pac Man

Pac Man é um dos maiores clássicos dos jogos, e suas curiosidades só o tornam ainda maior. (Foto: HIVPlusMag.com)

A jogabilidade de Pac Man e a inspiração nos quadrinhos

Como Iwatani continuou a desenvolver a ideia de um jogo que envolvia comer, ele acrescentou o conceito de um labirinto, e então veio o pellet power (ou power cookie), um item especial que permitia ao Pac-Man comer seus inimigos. Iwatani revelou mais tarde que a ideia de poder foi inspirada por Popeye, que muitas vezes derrotava seu arqui-rival Brutus ao comer espinafre.

Os fantasmas do Pac-Man também foram inspirados em personagens de quadrinhos. Pac-Man é inspirado em todos os mangás e animações que o designer assistia quando criança. Os fantasmas foram inspirados em Gasparzinho, ou Obake no Q-Taro.

Um dos primeiros jogos a introduzir cut-scenes

A ação do Pac-Man é ocasionalmente intercalada com simples interlúdios de desenhos animados, onde um enorme Pac-Man persegue um fantasma aterrorizado pela tela. Iwatani apelidou essas de “coffee breaks” e imaginou-as como um meio de atrair os jogadores para abrir caminho para a próxima cena. Os programadores de Iwatani inicialmente resistiram à ideia, argumentando que os interlúdios acrescentavam pouco ao jogo, mas Iwatani acabou vencendo a batalha.

A inteligência artificial do jogo

Embora Iwatani tenha sido a força criativa por trás do Pac-Man, dar vida ao jogo coube a uma equipe de quatro pessoas, incluindo o programador Shigeo Funaki e o designer de som Toshio Kai. O desenvolvimento do jogo demorou cerca de 18 meses – uma produção extraordinariamente longa para a época – com o comportamento dos fantasmas representando o maior desafio. Como o próprio Iwatani admitiu, não havia muito entretenimento em um jogo de comer, então decidiram criar inimigos para injetar um pouco de excitação e tensão.

Um dos aspectos mais engenhosos do Pac-Man é que cada fantasma se comporta de maneira diferente – um simplesmente persegue o jogador, dois tentam atacar o Pac-Man pela frente, enquanto o quarto o persegue e muda abruptamente de rumo. Foi complicado porque os movimentos dos monstros são bastante complexos. Mas este era o coração do jogo, e a IA neste jogo impressiona até hoje!

Não era esperado que o jogo fosse um sucesso

A primeira máquina do Pac-Man – então chamada Puck-Man – foi instalada em um cinema em Tóquio em 22 de maio de 1980. Como Iwatani e sua equipe esperavam, o jogo era popular entre as mulheres e os jovens, mas jogadores experientes – que estavam mais acostumados com a intensidade dos jogos de tiro – inicialmente ficaram perplexos.

A incerteza continuou quando o Pac-Man foi exibido em uma feira no final daquele ano. Muitos dos operadores de arcade americanos presentes pensavam que outro jogo da Namco na série – um jogo de corrida chamado Rally X – seria o mais popular dos dois devido ao seu ritmo mais rápido. Por fim, o Pac-Man foi escolhido para distribuição americana pela Bally / Midway. Seu nome foi mudado de Puck-Man para Pac-Man, e a jornada do jogo para a popularidade global começou.

Um dos jogos mais bem sucedidos não fez seu criador rico

Vendendo 350.000 máquinas de arcade dentro de 18 meses, gerando milhões em lucros e ainda mais receita de merchandising, o Pac-Man era um fenômeno internacional. Mas Iwatani, como muitos designers e programadores que trabalham no Japão na época – incluindo o criador do Space Invaders, Tomohiro Nishikado – não se beneficiou diretamente de todo esse sucesso. A verdade é que não havia recompensas em si para o sucesso do Pac-Man. Os criadores eram apenas empregados. Não houve mudanças nos salário, nenhum bônus, nenhuma citação oficial de qualquer tipo.

A mais alta pontuação de Pac Man

Embora o Pac-Man não tenha um final como tal, um “integer overflow” (erro de programaçã) faz com que o 256º nível seja impossível de ser terminado. Isto significa que se cada ponto, pellet, fruto e inimigo for consumido em cada um dos 255 níveis, a pontuação máxima possível é de 3.333.360 pontos. O lendário campeão de videogame Billy Mitchell foi o primeiro jogador a conseguir uma pontuação perfeita no Pac-Man. Porém, depois de descobertas de fraudes nas pontuações do jogador, todos os seus recordes foram removidos.

Ainda é um jogo viciante

Para comemorar o 30º aniversário do Pac-Man em 2010, o Google colocou uma versão jogável do jogo em sua página inicial. De acordo com um relatório divulgado por uma empresa de administração do tempo, a breve aparição do jogo conseguiu roubar ao mundo cerca de 4,8 milhões de horas de trabalho. O primeiro doodle já jogável do Google, a versão de aniversário do mecanismo de busca do Pac-Man, ainda pode ser jogado hoje.

Que outras curiosidades e fatos conhece sobre Pac Man?